Honda deverá pagar R$ 66 milhões por danos morais

O Ministério Público do Trabalho (MPT) exige na justiça que a empresa Honda Automóveis do Brasil, com sede na cidade de Sumaré, pague cerca de R$ 66 milhões de reais por descumprimento de leis trabalhistas.

Instituições como o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Campinas, Gerência Regional do Trabalho (GRT) e Fundacentro, além de peritos do MPT elaboraram o processo com depoimentos, provas documentais, laudos periciais e relatórios que indicavam principalmente o compasso intenso de trabalho e a pressão por resultados.

Segundo os documentos, as irregularidades também contemplam ergonomia, acompanhamento de riscos e acompanhamento da recuperação de trabalhadores acidentados.

O processo taxa as questões incorretas como “assédio moral organizacional” e cita a curta vida útil dos funcionários da linha de produção. Além disso, pedidos foram feitos pelo Ministério Público do Trabalho na ação, entre eles: análise ergonômica do trabalho, implantação de PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), reinserção de trabalhadores reabilitados adequadadamente, entre outros.

Comentários via Facebook