Auxílio de R$600: Maia diz que topa corte no salário de parlamentares se redução for nos 3 poderes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, falou nesta terça-feira sobre a possibilidade de corte de salário dos parlamentares em troca da prorrogação do auxilio emergencial no valor de R$ 600.

A proposta de Maia é que a redução de salários seja nos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

A fala ocorreu depois que o presidente Jair Bolsonaro cobrou a redução dos salários no Congresso Nacional para possibilitar a prorrogação do auxílio. Bolsonaro confirmou que o governo deve dar continuidade ao benefício.

De acordo com a área econômica do governo, os repasses do auxílio emergencial de R$ 600 custam, em média, R$ 51 bilhões por mês. Segundo Rodrigo Maia, o salário dos parlamentares, que chega a cerca de R$ 220 milhões por ano, seria insuficiente para cobrir os gastos com o auxílio por dois meses.

Ele acrescentou que o pagamento de todo o funcionalismo público federal tem impacto de R$ 200 bilhões no Orçamento da União. Desse total, R$ 170 bilhões são destinados ao Poder Executivo, R$ 25 bilhões ao Poder Judiciário e ao Ministério Público e R$ 5 bilhões aos servidores do Congresso Nacional, incluindo os parlamentares da Câmara e do Senado.

Fonte: Radioagência Nacional

Comentários via Facebook