Hortolândia

Hortolândia está no top 10 do ranking de saneamento no Brasil

Cidade ocupa a sexta posição no ranking

Hortolândia dá mais um grande passo e segue rumo à universalização do saneamento básico. A partir de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação adequada de resíduos sólidos, a cidade subiu da 11ª para a 6ª colocação no ranking nacional, com pontuação 499,97 de 500. O estudo é realizado pela ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental). Atingir 100% de esgoto coletado e tratado é uma das prioridades da Prefeitura.

Atualmente, o município já possui abastecimento de água em todos os domicílios e, de acordo com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), Hortolândia conta com 97,6% de coleta e tratamento de esgoto.

Para atingir a meta de 100%, a Prefeitura, por meio das secretarias de Serviços Urbanos e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e a Sabesp, intensificam a fiscalização contra o descarte irregular de esgoto e oferecem orientação e suporte aos moradores, com diversas ações de educação ambiental e sustentabilidade.

Durante o mês de junho, o trabalho de fiscalização foi realizado no Jardim Novo Ângulo, Jardim Nova América, Jardim Nova Alvorada, Jardim Nova Europa, Jardim Boa Esperança e Parque Ortolândia. Nas residências onde foram detectadas irregularidades, os moradores foram notificados a realizar a ligação correta para regularizar o descarte dos dejetos na rede de esgoto.

Os agentes da Secretaria de Serviços Urbanos também informam a população sobre a importância de fazer a ligação correta da rede de esgoto, pois quando não há tratamento adequado deste, os prejuízos podem ser graves, tanto para a saúde pública com transmissão de doenças, quanto ao meio ambiente, uma vez que fontes, rios e recursos hídricos podem acabar contaminados.

Segundo o secretário de Serviços Urbanos, Francisco Raimundo da Silva, essa é uma das maiores prioridades da Administração. “É uma luta e conquista da população. Trabalhamos em parceria com a Sabesp, num serviço diário e alinhado. Já conseguimos levar água tratada para todas as casas e, em breve, vamos atingir nosso objetivo de 100% de coleta e tratamento de esgoto em Hortolândia. Subir na colocação no ranking da ABES é o resultado de muito trabalho e orgulho pra nós”, ressaltou o secretário.

A subida de posição no ranking é reflexo de um conjunto de ações. Segundo a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira, “os investimentos em saneamento básico, principalmente no que se refere à ligação e tratamento de esgotamento, e na coleta de resíduos, com a implantação do reservatório de contenção de enchentes e gestão de resíduos sólidos, com a ampliação de novos LEVs (Locais de Entrega Voluntária de Recicláveis), PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de Entulho e outros materiais recicláveis) e a coleta seletiva porta a porta, demonstram que a Administração Municipal está empenhada em oferecer a população uma cidade sustentável, com melhor  qualidade de vida”, ressalta.

 

O ranking da ABES

Segundo o site da instituição, a ABES é uma associação com fins não econômicos, que reúne no corpo associativo cerca de 10.000 profissionais do setor. Tem como missão ser propulsora de atividades técnico-científicas, político-institucionais e de gestão, que contribuam para o desenvolvimento do saneamento ambiental, visando à melhoria da saúde, do meio ambiente e da qualidade de vida das pessoas.

A edição 2020 do ranking reúne 1.857 municípios, que representam cerca de 70% da população do país e mais de 33% dos municípios brasileiros. Eles forneceram ao SNIS (Sistema Nacional de Informações de Saneamento) as informações para o cálculo de cada um dos cinco indicadores utilizados no estudo. As 27 capitais brasileiras estão presentes no ranking.

Hortolândia, no ranking 2020, passou à frente das cidades de Santos, Birigui, Salto, Ribeirão Preto, Sertãozinho e Taubaté, se comparada à publicação de 2019.

A organização da publicação, como nos anos anteriores, divide os municípios em duas faixas populacionais: pequeno e médio porte (até 100 mil habitantes) e grande porte (acima de 100 mil), o que torna a comparação mais equilibrada. Para todas as bases foi considerado o ano de referência: 2018. O ranking é elaborado em parceria com a Archipelago consultoria. Confira o estudo completo neste link.

Prêmio Nacional

Pelo forte avanço nos indicadores de água tratada, coleta e tratamento de esgoto, Hortolândia recebeu, em setembro do ano passo, o prêmio nacional concedido pelo Instituto Trata Brasil, referência no país na área de saneamento. A cidade é um dos sete municípios brasileiros e um dos três do interior paulista reconhecidos como “casos de sucesso em saneamento básico”, em 2019.

Segundo os organizadores, o prêmio reconhece as entidades brasileiras que se destacam pelo “forte avanço nos indicadores de água tratada, coleta e tratamento dos esgotos”, em meio a um “cenário de grande atraso em todo o país, que ainda tem 35 milhões de pessoas sem água tratada e 100 milhões (cerca de metade da população) sem coleta de esgotos”.

 

PIC

A universalização de esgoto é uma ação que faz parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), que prevê mais de 100 intervenções e serviços que promoverão o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. As ações do PIC são realizadas por meio de parcerias da Prefeitura com a iniciativa privada, governos estadual e federal.

 

Histórico – Esgoto em Hortolândia

•Década de 80: organização de movimentos populares em prol do esgoto;

•1997: a Sabesp assume os serviços de água e esgoto na cidade. No contrato de concessão é previsto o prazo de dois anos para oferecer coleta e tratamento de esgoto;

•2003: a Sabesp inicia as obras da ETE, paralisadas depois por questões jurídicas envolvendo a concessionária e a empreiteira contratada para realizar a obra;

•2005: o prefeito Angelo Perugini assume a Prefeitura e inicia o trabalho de parceria com a Sabesp, para agilizar as obras de esgoto;

•2006: a população vai às ruas reivindicar à Sabesp esgoto coletado e tratado. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras de rede coletora de esgoto e libera as primeiras ligações de residências a rede coletora de esgoto;

•2007: a Prefeitura cria a Comissão de Acompanhamento de Obras de Esgoto, composta por representantes da sociedade civil. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto);

•2009: a ETE é inaugurada e, quatro meses depois, já tratava 30% do esgoto do município;

•2012: no segundo governo do prefeito Perugini, 72% da cidade tinha cobertura com rede coletora;

•2018: Hortolândia apresenta 95% de atendimento total de esgoto e recebe prêmio da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária);

•2019: a cobertura da rede coletora atinge 96,3%;

•2020: Hortolândia conquista 97,6% de cobertura, referente à coleta. Do esgoto coletado, 100% é tratado.

Comentários via Facebook

Facebook

Contato

Fale com a redação


(19) 981565064

Horóscopo