Se projeto não tivesse sido adiado, trem-bala deveria ter sido entregue no dia 30 de junho

O dia 30 de junho de 2020 deveria ter sido o prazo máximo para a entrega e início da operação do TAV (Trem de Alta Velocidade) Rio de Janeiro-Campinas, isso se o projeto não tivesse sido adiado.

Segundo o edital, publicado em 2012, o “Trem-Bala” faria o trajeto entre os municípios do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Campinas (SP). Os trens alcançariam uma velocidade igual ou superior a 300 km/h em alguns trechos do itinerário.

O projeto previa que o percurso incluísse a Estação Barão de Mauá; o Aeroporto do Galeão e as cidades de Barra Mansa e Resende no Estado do Rio de Janeiro. Além disso, incluiria as cidades paulistas de Aparecida e São José dos Campos; o Aeroporto de Guarulhos; o Campo de Marte; na capital; a cidade de Jundiaí; o Aeroporto de Viracopos e o Terminal Ramos de Azevedo, em Campinas.

O projeto é de responsabilidade da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), inicialmente denominada Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade (ETAV). Segundo o site da organização, o processo foi adiado por tempo indeterminado, visto que não houve interessados no projeto.

Comentários via Facebook