Hortolândia volta para a fase vermelha e comércio será fechado

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta sexta-feira (03) que a cidade de Hortolândia e toda a regional de Campinas vai regredir para a fase vermelha da flexibilização da quarentena e deverá fechar o comércio à partir da próxima segunda-feira (06).

A medida inclui todos os 42 municípios do Departamento Regional de Saúde 7, o que inclui: Águas de Lindóia, Americana, Amparo, Artur Nogueira, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Cabreúva, Campinas, Campo Limpo Paulista, Cosmópolis, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Itupeva, Jaguariúna, Jarinu, Joanópolis, Jundiaí, Lindóia, Louveira, Monte Alegre do Sul, Monte Mor, Morungaba, Nazaré Paulista, Nova Odessa, Paulínia, Pedra Bela, Pedreira, Pinhalzinho, Piracaia, Santa Bárbara d’Oeste, Santo Antônio de Posse, Serra Negra, Socorro, Sumaré, Tuiuti, Valinhos, Vargem, Várzea Paulista e Vinhedo.

Com isso, toda a região sai da Fase Laranja e volta para a Fase Vermelha. A informação foi antecipada pelo Prefeito de Campinas, Jonas Donizette, que disse que foi informado da decisão na noite de quinta-feira. A regional alcançou 80,6% na taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensa). Conforme o Plano SP de flexibilização, acima de 80% a classificação é vermelha.

Na quarta atualização do Plano SP, feita na última sexta-feira (26 de junho), a região tinha 75,2% de taxa de ocupação de UTIs.
Com o retrocesso da região, os shoppings, comércio, serviços, restauantes e similares, salões de beleza, academias e outras atividades que geram aglomeração ficam suspensas. Apenas serviços considerados essenciais poderão funcionar.

As atividades consideradas essenciais, que podem seguir funcionando mesmo na fase vermelha são:

  • assistência à saúde, incluindo serviços médicos, hospitalares e de óticas;
  • serviços de segurança privada;
  • transporte de passageiros por táxi ou aplicativo;
  • serviços de alimentação, como restaurantes, bares e congêneres, por entrega (delivery) ou retirada (drive thru);
  • padarias, supermercados, atacadistas e comércios que vendam gêneros alimentícios e produtos de limpeza;
  • farmácias; serviços bancários, incluindo casas lotéricas;
  • indústrias e fábricas, com a capacidade máxima de 30% nos refeitórios;
  • hotéis, pousadas e outros meios de hospedagem;
  • lavanderias e serviços de limpeza; entregas em geral;
  • transportadoras, postos de combustíveis e derivados, armazéns, oficinas de veículos automotores, borracharias e serviços congêneres;
  • construção civil com contratos para obras essenciais em vigor com a administração pública;
  • veterinárias e pet;
  • manutenção predial, elétrica ou hidráulica;
  • lojas de materiais de construção;
  • comércio de insumos para oficinas mecânicas;
  • comércio de bens e serviços automotivos; abastecimento e logística de agropecuária e a agroindústria;
  • serviços de entrega (delivery) ou retirada (drive thru) em geral;
  • assistência técnica de eletroeletrônicos;
  • atividades internas em comércios, escritórios e prestadores de serviço, sem atendimento a clientes;
  • hospitais privados continuam proibidos de realizar cirurgias eletivas, até nova decisão e os serviços da Administração pública.

Assim como a regional de Campinas, as regionais de Araçatuba, Bauru, Franca, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro e Ribeirão Preto, Sorocaba ficarão na fase vermelha.

Comentários via Facebook