Ministério Público requisita que a Prefeitura de Hortolândia retire atividades religiosas dos serviços essenciais

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) requisitou ao prefeito de Hortolândia, Angelo Augusto Perugini, que as atividades religiosas na cidade sejam retiradas do rol de serviços essenciais e sejam, portanto, suspensas.

No documento, assinado pela promotora de justiça Renata Lazzarini, requisita-se que no prazo de 24 horas do recebimento da recomendação, a administração municipal adote medidas sobre o cumprimento ou não da recomendação ministerial e encaminhe ao MP a documentação comprobatória.

As atividades religiosas presenciais devem permanecer suspensas, porém os cultos e demais atividades podem ser realizados através dos meios virtuais.

Foto: Reprodução/Google Street View
Comentários via Facebook