Micro mercados autônomos dentro de condomínios se consolidam durante a pandemia

Imagine que durante o home office você queira fazer um lanche rápido, mas falta um biscoito e um café. Ou então, durante a limpeza, falte algum produto. Ir ao supermercado neste período de pandemia tornou-se uma atividade que leva mais tempo que o usual pelas filas limitando o acesso de clientes, estacionamentos cheios e risco de contaminação da Covid-19. Então você tem a oportunidade de consultar por um aplicativo ou portal do morador os itens disponíveis antes de se deslocar para a área comum do condomínio ou prédio que mora e fazer as compras em um micro mercado autônomo.

Esta comodidade para condôminos de casa e prédios já é realidade na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Lançada em março deste ano, logo no início da pandemia do novo coronavírus, a SmartStore é um mini mercado equipado com produtos essenciais, como alimentos, bebidas, itens de higiene e limpeza e que funciona 24h por dia. “Com a pandemia e a orientação de sair menos de casa, este modelo de mini mercado entrega a experiência da agilidade e segurança para os moradores com um deslocamento de poucos metros. Até mesmo depois da crise, continuará sendo uma solução prática 24 horas por dias nos sete dias da semana para qualquer necessidade imediata de itens básicos sem precisar sair do condomínio”, explica Evandro Machado, fundador da SmartStore.

A instalação do micro mercado não exige obras ou modificações estruturais no condomínio, pois a estrutura é adaptável aos espaços disponíveis. “A SmartStore pode ser instalada em um cômodo disponível ou ocioso do condomínio, desde que tenha um ponto de tomada. O espaço mínimo exigido é a partir de 5 m² para serem colocados nichos de prateleira, geladeira e check-out, sendo, portanto, de fácil adaptação em qualquer condomínio”, ressalta.

A formação do estoque leva em conta histórico dos itens mais procurados pelos condôminos e é automatizada, usando inteligência artificial. A precificação segue patamares de mercado, com operação a cargo de licenciados da Smartstore. A informação sobre os produtos disponíveis em estoque pode ser consultada pelo aplicativo ou no portal dos moradores na web. Nos dois caminhos, é possível ver em tempo real o que há disponível em estoque e os respectivos preços. Por lá, também é permitido que o morador faça sugestões para serem incorporadas ao estoque.

O pagamento é feito no próprio local aproximando o código de barras do produto na leitora instalada no check-out, sem a presença de nenhum funcionário. No final, escolhe-se a forma de pagamento desejada. “Além de toda a comodidade e facilidade, não há custo de instalação para o condomínio. A unidade não tem funcionário e toda a montagem, instalação, estoque, sistemas, aplicativo, controles, operação e comunicação visual é de responsabilidade da matriz da empresa juntamente com o licenciado de cada condomínio”. Como a loja é instalada em um ambiente de acesso controlado por segurança do condomínio e câmeras internas que capturam os movimentos, o índice de furtos é baixo.

No prazo de 40 dias, já foram instaladas 5 unidades da Smartstore na RMC e a empresa pretende seguir em rápida expansão dos negócios e chegar a 80 unidades nos próximos seis meses com o modelo de licenciamento, avançando para o modelo de microfranquia. “O modelo de negócios foi formatado com base no propósito de entregar comodidade e praticidade com simplicidade, e é focado para investimento de empreendedores inexperientes ou para pessoas que buscam renda complementar, por ter fácil gestão e operação com baixo investimento e retorno atrativo, com todo o suporte da matriz da empresa. Em termos de mercado, a atratividade segue em alta, sendo o segmento de mini mercados o segundo maior do varejo no Brasil, representando 6% do PIB e 35% das vendas”, avalia.

Direto da Redação
TV HORTOLÂNDIA

 

Comentários via Facebook