Retorno das aulas na rede estadual de ensino é adiado para 07 de outubro

Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (07) junto ao Secretário de Educação, Rossieli Soares, que o retorno das aulas na rede estadual de ensino foi adiada para o mês de outubro.

A retomada será dividida em três etapas:

Etapa 1: escolas podem reabrir com até 35% da capacidade física.

Etapa 2: escolas podem funcionar com até 70% da capacidade física.

Etapa 3: escolas podem funcionar com 100% da capacidade física.

Para o início da Etapa 1, é necessário que 100% dos departamentos regionais de saúde estejam por, no mínimo, 28 dias na fase 3 do Plano São Paulo. Para o início da Etapa 2, é necessário que 60% dos departamentos regionais de saúde estajam por, no mínimo, 14 dias na fase 4 do Plano São Paulo. Para o início da Etapa 3, 80% dos departamentos regionais de saúde devem estar por 14 dias na fase 4 do Plano São Paulo. Caso uma região regrida para as fases 1 e 2 do Plano SP, a reabertura será suspensa naquela região.

Segundo o Plano de Retomada, a data prevista para o retorno das aulas presenciais é no dia 07 de outubro.

Um protocolo geral, com condições para a volta às aulas presenciais, foi elaborado. Confira os principais tópicos:

1. Distanciamento Social

  • Obrigatório o distanciamento de 1,5 m entre as pessoas, especialmente na sala de aula, exceto na educação infantil.
  • Recomendável adotar ensino remoto combinado com o retorno gradual das atividades presenciais.
  • Organizar os horários de entrada e saída, evitando aglomeração e preferencialmente fora do horários de pico do transporte público.
  • Atividades de educação física, artes e correlatas podem ser realizadas mediante cumprimento do distanciamento de 1,5 m, preferencialmente ao ar livre.
  • Os intervalos ou recreios devem ser feitos com revezamento de turmas em horários alternados.
  • Feiras, palestras, seminários, competições e campeonatos esportivos, comemorações, assembleias etc. estão proibidos.

2. Higiene Pessoal

  • Higienizar frequentemente as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%.
  • Uso obrigatório de máscara dentro da instituição de ensino, no transporte escolar e em todo o percurso de casa até a instituição de ensino.
  • Disponibilizar os EPIs necessários aos funcionários para cada tipo
    de atividade.
  • Fornecer água potável de modo individualizado. Caso a água seja forneci da em galões, purificadores, bebedouros ou filtros de água, cada um deve ter seu próprio copo.

3. Sanitização de Ambientes

  • Higienizar os banheiros, lavatórios e vestiários antes da abertura, após
    o fechamento e, no mínimo, a cada três horas.
  • Certificar-se de que o lixo seja removido no mínimo três vezes ao dia e descartado com segurança.
  • Manter os ambientes bem ventilados com as janelas e portas abertas, evitando o toque nas maçanetas e fechaduras.
  • Higienizar os prédios, as salas de aula e, particularmente, as superfícies que são tocadas por muitas pessoas (grades, mesas de refeitórios, carteiras, puxadores de porta e corrimões), antes do início das aulas em cada turno e sempre que necessário.
  • Manter os ambientes bem ventilados com as janelas e portas abertas, evitando o toque nas maçanetas e fechaduras.

4. Comunicação

  • Priorizar o atendimento ao público por canais digitais (telefone,
    aplicativo ou online).
  • Comunicar as famílias e os estudantes sobre o calendário de retorno e os protocolos com no mínimo 7 dias de antecedência.
  • Produzir materiais de comunicação para distribuição nas instituições de ensino na chegada dos estudantes, com explicações de fácil entendimento sobre a prevenção da COVID-19.

5. Monitoramento

  • Não permitir a permanência de pessoas sintomáticas para
    COVID-19 na instituição de ensino.
  • Profissionais e alunos que fazem parte do grupo de risco devem ficar em casa e realizar as atividades remotamente, na primeira fase do plano de retorno às atividades presenciais.
  • Recomendação para instituições de ensino públicas e privadas aferirem a temperatura das pessoas a cada entrada.
  • Separar uma sala ou uma área para isolar pessoas que apresentem sintomas na instituição de ensino até que possam voltar para casa.
  • Orientação aos pais ou responsáveis para aferirem a temperatura dos estudantes antes de eles irem para a instituição de ensino e ao retornar. Caso a temperatura esteja acima de 37,8° C, a recomendação é ficar em casa.
Comentários via Facebook