Educadores infantis de Hortolândia participam de ciclo de encontros online

Foto: Prefeitura de Hortolândia

Um ciclo de encontros online, promovido pela Prefeitura de Hortolândia, reuniu, nesta quinta e sexta-feira (17 e 18/09), educadores infantis, gestores, coordenadores, supervisores e diretores do Centro de Formação dos Profissionais em Educação “Paulo Freire”. O evento buscou estreitar a comunicação e discutir as intensas mudanças, novos rumos e ferramentas para a Educação por conta da pandemia da COVID-19.

A ação, realizada pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, foi realizada remotamente, por meio do aplicativo Zoom, para garantir o distanciamento social exigido para conter a disseminação do Coronavírus. No total, foram realizadas seis reuniões com, aproximadamente, 150 participantes em cada uma.

Para a educadora infantil, Vanessa Gonçalves Mateus Calado da Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Emiliano Sanchez, a reunião foi muito boa. “Eu, particularmente, achei muito importante a reunião. Me senti mais confortável e calma, porque a gente ouve muito boato e, ouvindo da secretária e da supervisão os esclarecimentos, isso nos deixa mais calmos e menos ansiosos. A Sandra nos ouviu e respondeu às perguntas que foram feitas, de forma bem honesta. Além disso, saber de todo o empenho da área da saúde e educação, que estão atuando juntas, nesse período de pandemia, nos dá mais segurança”, enfatizou a educadora.

Os profissionais foram convidados a participar e puderam expor suas opiniões e sugestões, numa conversa aberta. Além disso, puderam encaminhar mensagens, por meio do chat, que foram respondidas durante o encontro. As reuniões ocorreram nos períodos da manhã e da tarde, com tempo estipulado de uma hora e quinze minutos.

“Ouvir da secretária Sandra todo um macro, a situação global que estamos enfrentando e o olhar da gestão nesse período, foi importante. Também nos foi dada abertura para críticas e sugestões. Esse diálogo que foi estabelecido é essencial, que continue esse vínculo, para termos uma visão de todas as esferas para melhoria e para o que pode progredir ainda mais na educação em nosso município. Considero de extrema importância para nós, educadores, não só para sanar algumas angústias, mas para estreitar a relação do coletivo da escola e de toda a Secretaria, em um clima democrático e humano”, disse a educadora infantil Ariane Barbosa Alves Freitas, da Emei Sebastiana das Dores Moura.

Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a intenção é manter o canal de diálogo, dar suporte às ações pedagógicas e aproximar  ainda mais o relacionamento com os profissionais da rede, além de permitir a troca de ideias e experiências, a reflexão e sugestões de ações para a educação na prática. A mediação foi realizada pela secretária da pasta, Sandra Fagundes Freire.

“Foi muito revigorante poder reencontrar e conversar com os nossos educadores. A Educação é um trabalho que envolve coletividade. Nesse momento de distanciamento social, temos que nos reinventar para estar juntos, trocar ideias e experiências. Nosso principal objetivo é firmar uma parceria, para compartilhar nossas superações e refletirmos juntos”, enfatizou a secretária Sandra.

Atividades remotas

As aulas presencias em Hortolândia estão suspensas desde 23 de março, para os cerca de 26 mil alunos da rede municipal. Desde então, foi implantado o ensino remoto, com a utilização do Blog Educação, seguindo orientações da legislação federal, estadual e municipal.

Para tratar das atividades educacionais, frente à pandemia, a Administração Municipal criou uma Comissão Especial, composta pela secretária de Educação e por diretores de Departamentos, representante do Conselho Municipal de Educação, Supervisão Pedagógica, Coordenação Pedagógica, gestores, professores, pais, funcionários de todos os segmentos das escolas municipais, conveniadas e particulares, gestor e professor da Educação Especial, agentes de políticas sociais, representante da Secretaria de Saúde, do Conselho Tutelar, do CMDCA (Conselho Municipal da Criança e do Adolescente) e do CAE (Conselho de Alimentação Escolar). O objetivo da Comissão é dar voz a representantes de vários segmentos, convidando-os a participar da elaboração do documento, a fim de garantir múltiplas contribuições nos temas a serem discutidos sobre o “protocolo de biossegurança”.

*Com informações da Prefeitura de Hortolândia

Comentários via Facebook