MARIA Clara pode ter sido morta dentro de casa

Os desdobramentos do caso que chocou o país continuam. A Polícia Civil continua investigando o caso. Em entrevista a imprensa uma das tias disse que na quinta-feira, quando começaram as buscas pela criança, o padrasto já tinha matado a criança. A tia acredita nessa suposição devido ao fato dele ter estado com a criança sozinho dentro de casa.  Ele teria planejado o crime por saber o horário em que a mãe iria chegar. 

ENTENDA O CASO

Na quarta feira o casal, mãe e padrasto que moravam com a criança em uma casa no Vila Real, tiveram uma briga de casal. Vizinhos relataram que o casal viva bem e nunca tiveram discussões ou brigas fortes e que gostavam de festas. O padrasto após a briga, prometeu vingança.

Na quinta-feira, quando a mãe da criança chegou em casa após o trabalho, perguntou ao companheiro o paradeiro da filha que sempre estava em casa. Ele disse que ela teria ido a casa da vizinha para brincar, mas infelizmente a criança não estava lá.

Imediatamente, começaram as buscas pela criança em todos os lugares. Durante a noite da quinta-feira, as redes sociais contabilizaram milhares de compartilhamentos e até um carro de som foi usado para anunciar o sumiço da criança. Veículos de imprensa e amigos estiveram o tempo todo as buscas pela Maria Clara. O próprio padrasto ajudou nas buscas e até o início da manhã ele não era tido como suspeito.

Na manhã da sexta-feira, mais de 50 pessoas, entre amigos, vizinhos e familiares começaram buscar pela crianças em bairros adjacentes e às 8h24 a criança foi encontrada em um terreno baldio dentro de uma caixa de papelão embrulhada de plásticos.

Em total desespero a mãe pegou a criança no colo, caiu em prantos, e a levou ao UPA do Nova Hortolândia, mas infelizmente quando chegou lá, foi constatado que ela já estava morta com sinais de estrangulamento e abuso sexual.

O padrasto logo confessou o crime e foi preso. Durante toda a manhã de sexta-feira muitas pessoas se reuniram em frente a Delegacia de Polícia de Hortolândia. Populares queriam linchar o autor do crime. “Ele não merece cadeia, lá ele vai comer, dormir e beber e a minha neta está presa naquele caixão”, lamentou em prantos a avó durante o enterro da Maria Clara na manhã de Sábado.

O autor foi encaminhado a Cadeia Publica de Sorocaba e poderá responder por homicídio doloso, ocultação de cadáver e abuso sexual. 

Direto da Redação

TV HORTOLÂNDIA

Comentários via Facebook