Record quer punição aos agressores que machucaram auxiliar técnico em Hortolândia

Foto: Arquivo Pessoal

O apresentador do Cidade Alerta, Luiz Bacci, anunciou na última sexta-feira (18) que vai cobrar das autoridades de Hortolândia a identificação dos três homens que foram flagrados agredindo o auxiliar técnico da emissora Anderson Santos da Rocha, que cobria o caso da menina Maria Clara, encontrada morta em um terreno do bairro São Felipe.

Rocha, como é conhecido na emissora, estava acompanhado da repórter Luiza Zanchetta e foi atacado pelos homens. A repórter demonstrou nervosismo, em um vídeo, ela diz: “Gente, ele não tem culpa… ele não tem culpa, gente, pelo amor de Deus, para gente. Gente, é meu colega, ele sofre de um monte de problemas de saúde”.

A agressão acontece no exato momento em que o corpo da menina é encontrado. Veículos de reportagem da RecordTV e da TV Thathi também foram depredados.

Órgãos como o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) repudiaram a agressão e classificaram o ato como “inadmissível”, mesmo sob forte impacto emocional.

Luiz Bacci classificou a agressão como uma “tentativa de homicídio” e categorizou os agressores como “criminosos”. “Tentaram matar, porque não foi uma agressão, isso é uma tentativa de assassinato, tentaram acabar com nosso auxiliar técnico” – enfatizou Bacci.

A Secretaria de Comunicação do Governo do Estado de São Paulo disse, em nota, que lamenta a agressão sofrida pela equipe e que reforçou ao delegado geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, a necessidade de identificar os autores e puni-los.

Comentários via Facebook