Com SP na fase vermelha, Bruno Covas vai ao Maracanã e diz que “a lacração da Internet resolveu pegar pesado”

Foto: Arquivo Pessoal

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, foi ao Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, no último sábado (30 de fevereiro) para assistir à disputa entre Santos e Palmeiras pela final da Copa Libertadores da América. Com o estado de São Paulo inteiro na fase vermelha, o político foi criticado nas redes sociais e, se pronunciou dizendo que “a lacração da internet resolveu pegar pesado”. Veja o texto publicado por Covas:

Depois de 24 sessões de radioterapia meus médicos me recomendaram 10 dias de licença para recuperar as energias. Isso foi até a última quinta (28/01). Resolvi tirar mais 3 dias de licença não remunerada para aproveitar uns dias com meu filho. Fomos ver a final da libertadores da América no Maracanã, um sonho nosso. Respeitamos todas as normas de segurança determinadas pelas autoridades sanitárias do RJ. Mas a lacração da Internet resolveu pegar pesado. Depois de tantas incertezas sobre a vida, a felicidade de levar o filho ao estádio tomou uma proporção diferente para mim. Ir ao jogo é direito meu. É usufruir de um pequeno prazer da vida. Mas a hipocrisia generalizada que virou nossa sociedade resolveu me julgar como se eu tivesse feito algo ilegal. Todos dentro do estádio poderiam estar lá. Menos eu. Quando decidi ir ao jogo tinha ciência que sofreria críticas. Mas se esse é o preço a pagar para passar algumas horas inesquecíveis com meu filho, pago com a consciência tranquila.

Na publicação, feita em uma rede social, o prefeito da capital paulista restringiu os comentários apenas as pessoas que ele segue. 

As críticas dos internautas se deram pelo fato de Covas ter deixado a cidade na fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva, e ido ao Rio de Janeiro. Muitos usuários também citaram que ele é do grupo de risco pois faz tratamento de um adenocarcinoma, um tipo de câncer na região entre o esôfago e o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão em linfonodos.

Comentários via Facebook