Hortolândia aumentou a frota de automóveis em mais de 100%.

Foto: Patrick Jullian/TV Hortolândia

Dados do Denatran mostram que na Região do Polo Têxtil, Hortolândia é quem teve maior crescimento na frota de veículos, que saltou de 68.292 em 2011, para 127.260 em 2020, aumento de 107%.

O salto no número de veículos na cidade supera, com folga, a evolução nos demais municípios da microrregião. Sumaré teve crescimento de 70%, Nova Odessa registrou 54%, Americana teve 44% e Santa Bárbara 43%.

“O crescimento da frota do Brasil e na região é uma tendência que se verifica na década e isso é motivado pelo crescimento da renda, pela política de crédito e o rendimento da população, isso em um contexto de pouco incentivo ao transporte público, falta de rodovias”, disse o economista do Observatório da PUC Campinas, Paulo Oliveira.

Para Durval Justino, dono de uma revendedora de automóveis de Hortolândia, a subida na frota de veículos tem relação com o perfil econômico do município.

“Aqui a renda per capita do cidadão é bem alta em relação a nossa região. Hortolândia é uma cidade que cresceu muito e, onde dá fruto, chama atenção de quem está de fora. Temos de alguns anos para cá muitos condomínios novos”, opinou.

Hortolândia teve o segundo melhor resultado no PIB (Produto Interno Bruto) per capita da região em 2018, último ano divulgado. Esse índice divide para cada morador da cidade uma “fatia” do que foi produzido no ano dentro do município.

O PIB per capita de Hortolândia foi de R$ 57,6 mil, acima de Sumaré (R$ 57,8 mil), Americana (R$ 47,7 mil) e Santa Bárbara d’Oeste (R$ 30,7 mil), ficando atrás somente de Nova Odessa (R$ 59,6 mil).

É um indicador que parte da ideia de que o aumento na produção agregada de onde residem beneficia a qualidade de vida daquela população e, consequentemente, sua renda, tendo mais condições de ir ao mercado para adquirir bens como automóveis, por exemplo.

 

  • Artigo enviado pelo Portal O Liberal
Comentários via Facebook