Estocar alimentos em casa pode causar elevação nos preços, diz Procon

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

A população que está frequentando os supermercados nos últimos dias observa uma grande quantidade de pessoas com os carrinhos cheios de compras. O grande volume de produtos alimentícios indica que muita gente está pensando em estocar alimentos neste tempo de pandemia. Mas o Procon, órgão de defesa do consumidor, vinculado à Prefeitura de Hortolândia, orienta a população a ficar calma e evitar as “super compras”, pois além de não ser necessário – uma vez que supermercados permanecerão abertos – a atitude pode causar elevação nos preços dos produtos.

De acordo com o Procon municipal, os clientes também devem ficar atentos as “fake news”, informações falsas que circulam, principalmente em redes sociais, falando sobre fechamentos dos supermercados, por exemplo. “Apesar da restrição no horário de funcionamento dos supermercados, estes estabelecimentos continuarão abertos e não há indícios de desabastecimento. As ‘fake news’, no entanto, podem trazer uma insegurança e levar muitas pessoas a estocar mantimentos”, enfatiza a diretora do órgão em Hortolândia, Ana Paula Portugal Ferreira. A recomendação é comprar o necessário para um período de tempo, um mês, por exemplo, como as famílias costumam fazer habitualmente.

“Além de comprar em quantidade suficiente, sem exageros, outra dica é optar pelas compras em mercadinhos e mercearias dos bairros, o que ajuda a fortalecer a economia local. Além disso, estes estabelecimentos serão os principais beneficiados com a baixa do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da carne e do leite, divulgado pelo Governo do Estado. Esperar esta nova medida começar a valer também ajudará a economizar na hora da compra”, analisa Ana Paula.

Preços elevados

Conforme explica Ana Paula, a compra exagerada aciona a “lei da oferta e da procura”: produtos muito procurados registram aumento dos preços. Com a pandemia do Coronavírus e o Estado na “Fase Emergencial” do Plano São Paulo de Retomada Gradual e Consciente da Economia, a população que se sentir lesada ou precisar realizar alguma denúncia sobre preços abusivos em algum estabelecimento comercial da cidade pode acessar, remotamente, os canais de interação do Procon. A denúncia é avaliada pelo órgão. Se alguma irregularidade for constatada, a fiscalização para garantir o cumprimento da lei é realizada no local.

Para realizar denúncias, o consumidor deve enviar a reclamação ao e-mail [email protected]. Além do correio eletrônico, o Procon de Hortolândia também está atendendo, das 9h às 15h, por meio dos telefones (19) 3819-1400, ramais 7034 ou 7035, (19) 3819-1024 ou via WhatsApp pelos números (19) 99635-4208 e (19) 99979-5162.

(Com informações da Prefeitura de Hortolândia)

Comentários via Facebook