Prefeitura estuda proposta para implantar novo currículo da educação no município

Profissionais de educação de Hortolândia participaram, nesta quarta-feira, (13/05), do evento que inicia a reflexão com vistas à elaboração do Documento Curricular Próprio da Educação de Hortolândia. A convite da Prefeitura, o educador e sociólogo, Cesar Callegari, veio ao município para falar sobre a construção do documento que norteará a educação na rede municipal. O encontro aconteceu no auditório da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Patrícia Maria Capellato Basso, no Jardim São Sebastião. A ação da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia beneficiará mais de 26 mil alunos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e da EJA (Educação de Jovens e Adultos). A iniciativa integra o calendário de aniversário de 30 anos de Hortolândia.

A abertura do evento contou com a presença do prefeito José Nazareno Zezé Gomes, que agradeceu aos profissionais presentes, abordando a importância do trabalho desenvolvido pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia no atendimento à comunidade escolar.  

Para o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Fernando Moraes, ter um currículo próprio para Hortolândia representa uma grande conquista. Ele destacou também a importância de ouvir todos os profissionais da educação nesse momento para construção do documento a fim de legitimar os saberes, experiências e projetos já desenvolvidos na rede de educação. 

O encontro recebeu convidados e representantes dos principais setores da educação de maneira segura, seguindo todos os protocolos de higiene e distanciamento social. A criação do currículo próprio para rede municipal é parte integrante da proposta da educação, na atual gestão: “Hortolândia, território de saberes: a educação como conceito de integralidade”. A partir das experiências e saberes, a ideia é construir uma rede ativa e participativa para a educação no município.

Sonho e participação

Na sequência, a secretária adjunta, Roberta Morais Diniz, apresentou as justificativas para a criação do currículo próprio e falou sobre a valorização de todo o trabalho desenvolvido por gestores, coordenadores, professores, educadores e funcionários. “Dentro da concepção de Território dos Saberes, vamos partir do diálogo e da criação de fóruns e consultas públicas, organizar e sistematizar a criação do novo currículo. Além também da utilização dos documentos como a BNCC (Base Nacional Curricular Comum), inspiração para a elaboração do documento”, ressaltou a Secretária.  

Cesar Callegari compartilhou vivências sobre sua trajetória como educador e a criação da BNCC, documento norteador para as redes de ensino público e privado dos profissionais da educação. Durante a palestra, abordou ainda a necessidade de o processo de elaboração ter caráter participativo, os novos desafios e diferentes contextos que devem ser levados em consideração, além dos principais elementos para a construção do documento.

“O currículo de uma cidade deve ser também inspiração. Ele tem vários elementos necessários, e entre eles os elementos de sonho, desejo e utopia. O que nós queremos para os nossos alunos, para a nossa sociedade. Os cidadãos que desejamos formar”, destacou o educador.

“Mais importante do que saber de onde vem é saber para onde vai. O currículo próprio nos dá essa possibilidade de esperançar, ter um alinhamento conceitual de ideias e divergências. Cada escola para nós é um organismo vivo de experiências e saberes, vamos organizar tudo, encontrar todas as vivências e saberes e criar uma visão para todos”, ressaltou Fernando Moraes.

Comentários via Facebook