Padrasto de Maria Clara vai a júri e pode pegar até 63 anos de cadeia

Após decisão da Primeira Vara Criminal de Hortolândia, o auxiliar de produção Cássio Martins Camilo de 27 anos acusado de matar a própria enteada de 5 anos Maria Clara Calixto Nascimento, vai a júri popular. 
O crime aconteceu em Dezembro de 2020 e teve repercussão nacional. Ele reponde por estupro de vulnerável agravado, homicídio multiqualificado e ocultação do cadáver. 

Ele teria participado das buscas da menina e no dia que ela foi encontrado, ele acabou confessando a autoria do crime. Segundo o Ministério Público, o padrasto pode pegar entre 31 a 63 anos de prisão ao somar as penas.

Direto da Redação
TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão

Comentários via Facebook