Após cortes no repasse das vacinas, adolescentes de SP ficam sem data definida para imunização

Recentemente, o Ministério da Saúde anunciou que repassaria uma quantidade significativa menor de vacinas ao Governo de São Paulo. O governador João Dória, inclusive, informou ter encaminhado um ofício ao Ministério da Saúde. O estado recebeu apenas 228 mil doses do imunizante que chegaram nesta semana ao país – o estado teria direito a 456 mil doses.

Devido a esse corte no repasse das vacinas, o governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (5) que a imunização de adolescentes entre 12 e 17 anos não tem mais data definida. Anteriormente, a vacinação estava prevista para começar no dia 18 deste mês.

O governo de SP amaeaça entrar na justiça contra a redução de doses. O secretário estadual de Saúde se pronunciou: “Diante do exposto, esta Secretaria de Estado da Saúde requer o envio complementar de pelo menos 228.150 doses da vacina Pfizer em até 24 horas, considerando a relevância e urgência que a matéria se reveste”, escreveu.

As doses em questão, seriam da marca Pfizer, que é a única vacina autorizada pela Anvisa para aplicação na faixa etária (menores de 18 anos). Os outros imunizantes seguem sendo aplicados normalmente nos outros públicos, e não há risco de falta de vacinas para aqueles que já tomaram a primeira dose.

O governador João Dória teria acusado o rival político Jair Bolsonaro de prejudicar o programa estadual de vacinação de São Paulo. O presidente múltiplas vezes se posicionou contra a Coronavac, produzida em São Paulo pelo Instituto Butantan.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Comentários via Facebook