Nível dos reservatórios em SP é crítico e pode piorar em 2022

O nível dos reservatórios de água do Estado de São Paulo é crítico, chegando a níveis mais baixos que em 2013, ano que antecedeu uma crise hídrica e obrigou os governantes a estabelecerem regras de racionamento e compensação por economia d’água. Na capital e região metropolitana, são sete reservatórios operando com menos de metade da capacidade.

A situação é preocupante, e pode piorar devido à previsão de poucas chuvas para os próximos meses. Ou seja, os reservatórios já estão baixos, e aliados a um verão com previsão de quantidade de chuvas abaixo da média, o problema pode persistir em 2022.

O Reservatório de Furnas, que é um dos mais importantes da região Sudeste/Centro-Oeste está operando com 15,62% do volume útil, pouco mais que o índice de 12,98% registrado em 2001, quando houve racionamento de energia.

A Sabesp negou haver risco de desabastecimento de água na Grande São Paulo: “Na estiagem, a queda no nível das represas é esperada e a projeção da Companhia aponta níveis satisfatórios para os próximos meses, até o final do ano, quando são esperadas as chuvas de verão. Não há risco de desabastecimento neste momento na Região Metropolitana de São Paulo”, afirmou a empresa, em comunicado.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Divulgação/Sabesp

Comentários via Facebook