Por surtos de gripe e Covid, prefeitos da RMC suspendem todos os bailes do Carnaval 2022

Reunidos na última segunda-feira (17/01) em Campinas para a 229ª reunião do Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas), os prefeitos da região decidiram, de comum acordo, cancelar todas as festas de Carnaval de 2022. A decisão regional inclui tanto aquelas manifestações culturais e de lazer previstas para espaços e vias públicas (que já haviam sido suspensas pelos prefeitos no final do ano passado), quanto aquelas que aconteceriam em espaços privadas, como clubes, bares, ginásios e etc.

O motivo, novamente, são os atuais surtos de gripe comum (causado pela variante Darwin do vírus Influenza A H3N2) e da Covid-19 (causado pela variante ômicron do coronavírus Sars Cov 2), que lotam pronto-socorros em toda a região e que já começam a pressionar os percentuais de ocupação de leitos para pacientes respiratórios em algumas cidades.

Segundo o prefeito de Nova Odessa, Cláudio José Schooder – o Leitinho –, “essa é uma medida dura para os prefeitos tomarem, mas que é necessária e é a mais correta neste momento, em que temos que dar toda a nossa atenção e esforços para as redes de Saúde das nossas cidades”. “Carnaval ano que vem tem outro, mas a vida a gente tem uma só, e neste momento é hora de cuidar de vidas, de preservar vidas”, ponderou Leitinho.

A reunião no Hotel Meliá foi conduzida pelo presidente do Conselho da RMC e prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, e pelo diretor-executivo da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), Odair Dias. Também será estudada a emissão de um atestado sanitário online padronizado pelas 20 cidades a pacientes com sintomas gripais.

Para embasar a decisão do Conselho da RMC e ajudar as cidades a lidarem com o rápido crescimento de casos de síndromes respiratórias no início deste ano, especialmente por causa da variante ômicron e do vírus H3N2, a diretora de Planejamento do DRS 7 (Departamento Regional de Saúde de Campinas), Fernanda Vasconcellos, apresentou números com o avanço dos surtos no Estado.

“A média de móvel de casos começou a aumentar em janeiro. Mesmo com o ‘boom’ neste período, esta cepa não é como as anteriores. A OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) recomenda o uso racional de testes”, disse Fernanda.

A diretora explicou que, embora haja aumento de casos por ser uma transmissão mais rápida, os sintomas são mais brandos, principalmente por causa da vacinação. Ela também destacou a importância de as cidades manterem a exigência de medidas sanitárias e continuarem avançando na vacinação contra a Covid-19.

DEFESA CIVIL

Também foi aprovado por unanimidade, pelos prefeitos, o projeto do COE (Centro de Operações em Emergências) da Defesa Civil regional. A iniciativa prevê a criação de 20 salas de coordenação para discussão de políticas públicas voltadas para e redução de riscos de desastres e apoio a situações de crises instaladas nos municípios.

O projeto foi apresentado pelo diretor da Defesa Civil de Campinas e coordenador da Câmara Temática sobre o tema na RMC, Sidnei Furtado, e por Maurício Barone, diretor da Defesa Civil de Vinhedo.

PRESIDÊNCIA

Também na segunda, foi definida, por aclamação, a permanência dos atuais presidente e vice do Conselho da RMC – o prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, e o prefeito de Sumaré, Luiz Dalben, respectivamente – para 2022. “Vamos continuar a trabalhar muito pela região”, disse o presidente Gustavo Reis.

Texto: Prefeitura de Nova Odessa
Foto: Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas

Comentários via Facebook