Ômicron: média de mortes por COVID-19 no Brasil subiu 566% em um mês

A variante ômicron do coronavírus, apesar de ser menos letal, tem uma taxa de contaminação muito mais alta, fazendo com que muito mais pessoas tenham contato com o vírus. Atrelado às festas de fim de ano e ao descumprimento de diversas medidas de segurança, o resultado foi um aumento em 566% no número de mortes nesse último mês.

De acordo com dados desta quarta-feira (2), a média móvel de mortes diárias saltou de 98 para 653 no último mês – o Brasil se aproxima novamente da média de 1000 óbitos diários, mesmo com mais de 70% da população imunizada com pelo menos duas doses.

Segundo gestores da área da saúde, a maior parte dos casos graves está concentrada em não vacinados, idosos e pessoas com comorbidade. Cerca de um terço dos óbitos é de pessoas que não completaram o esquema vacinal.

Apesar de vacinados contraírem a doença, a chance é menor, e as chances de internação e morte são reduzidas consideravelmente. Especialistas reclamam da falta de investimentos federais em programas de testagem, que ajudariam a estipular um padrão para a disseminação da nova variante.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Foto: Divulgação/Prefeitura de Hortolândia

Comentários via Facebook