Policiais suspeitos de envolvimento em chacina são absolvidos por júri

Toninho do PT cumpria mandato como Prefeito de Campinas quando foi assassinado com três tiros na noite de 10 de setembro de 2001. Ele estava dentro de seu carro enquanto voltava de um shopping quando foi abordado. A chacina ocorrida em Caraguatatuba ocorreu no mês seguinte, e dois suspeitos pelo assassinato estavam entre os mortos

Sete policiais civis suspeitos de envolvimento em uma chacina associada ao assassinato do prefeito Toninho, em 2001, foram absolvidos pelo Tribunal do Ju´ri de São Paulo nesta terça-feira (15).

Na segunda-feira (14), data de início do julgamento, um réu foi interrogado e testemunhas foram ouvidas. Na terça-feira (15), outros seis réus se pronunciaram sobre as acusações. Na denúncia protocolada em 2006, as informações seriam de que os policiais armaram uma emboscada e simularam uma troca de tiros, alterando a cena do crime após a chacina.

Uma das possibilidades é de que a chacina tenha sido uma maneira de eliminar pessoas que sabiam do envolvimento no assassinato do prefeito, caso que até então segue sem solução. A família de Antônio da Costa Santos (PT) acredita que o assassinato teve cunho político e as investigações deveriam ser realizadas pela Polícia Federal.

Toninho do PT, então prefeito de Campinas foi assassinado com três tiros na noite de 10 de setembro de 2001. Ele estava dentro de seu carro enquanto voltava de um shopping quando foi abordado. A chacina ocorrida em Caraguatatuba ocorreu no mês seguinte, e dois suspeitos pelo assassinato estavam entre os mortos

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão

Comentários via Facebook