Região de Campinas reduz homicídios, estupros e roubos em maio

Taxa de homicídios de 5,77 por 100 mil habitantes é a menor da série histórica
 
A região de Campinas encerrou maio com queda nos homicídios dolosos, de 26 para 21 casos. A taxa de mortes intencionais dos últimos 12 meses na região é agora de 5,77 por grupo de 100 mil habitantes, a menor da série histórica, inciada em 2001.
 
Também houve redução nos números de estupros e roubos em geral, roubos de carga e nos furtos de veículos. No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, os furtos e roubos mantiveram tendência de queda.

A análise dos dados criminais usa como referência o mês de maio e os cinco primeiros meses de 2019, primeiro ano pré-pandemia em que não houve restrição da circulação das pessoas. Nos últimos dois anos, São Paulo viveu um período de grande isolamento social, causado pela pandemia do coronavírus e que impactou diretamente na dinâmica criminal. Em 2020, a média de pessoas que permaneciam em suas casas, medida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), foi de 45%. Já em 2021, o número ficou em 42%. O índice de isolamento social, amplamente divulgado nos dois anos, foi calculado pelo IPT com base em informações sobre a movimentação de celulares, fornecidas pelas prestadoras de serviços de telecomunicação.

Em maio, os homicídios dolosos registraram 5 casos a menos, recuo de 26 para 21. No acumulado do ano, o indicador também seguiu a curva de queda, com recuo de 8,1%, de 111 para 102 mortes intencionais.
 
Com os resultados, a taxa de homicídios dolosos nos últimos 12 meses (de junho de 2021 a maio de 2022) ficou em 5,77 para cada grupo de 100 mil habitantes, a menor da série histórica.
 
Os latrocínios se mantiveram estáveis, com um caso em maio nos dois anos. O indicador também permaneceu inalterado de janeiro a maio, quando foram registrados 4 boletins nos dois anos.
 
O número de estupros registrados na região diminuiu de 85 para 76 casos, queda  de 10,6.
 
Os roubos de veículos tiveram ligeira queda de 0,6%, em maio, de 322 para 320 casos. Já os furtos de veículos apresentaram queda de 14,4% no mês, de 606 para 519 casos. Ambos foram os menores totais da série histórica no mês, sem considerar os anos de 2020 e 2021.
 
No acumulado do ano, os dois indicadores criminais também apresentaram diminuição. Furtos de veículos reduziram de 1.578 para 1.519 boletins, queda de 3,7%. Já os roubos de veículos recuaram 18,2%, de 2.968 para 2.427 casos.
 
Os furtos em geral tiveram alta de 8,4%, em maio, de 3.167 para 3.434 ocorrências. No acumulado do ano, foi mantida a queda de 1,4%, de 15.964 para 15.747 boletins.
 
Os roubos em geral também recuaram 10%. Em maio do ano passado, foram registrados 1.013 casos, contra 912 deste ano. Este foi o menor total desde 2001, sem contar os anos de 2020 e 2021.
 
Os roubos de carga também diminuíram de 35 para 27  casos.
 
No acumulado do ano, as duas modalidades de roubo também recuaram. Roubos em geral oscilaram de 5.091 para 4.276, redução de 16%; roubos de carga foram reduzidos de 191 para 168 casosm, baixa de 12%. 
 
Já o indicador de roubo a banco permaneceu zerado no mês e no período de janeiro a abril.
 
 

Produtividade

O trabalho das polícias paulistas, na região de Campinas, no mês maio, resultou em 1.026 prisões e na apreensão de 39 armas de fogo ilegais. Também foram registrados 246 flagrantes por tráfico de entorpecentes.

Dados estatísticos

Confira os dados estatísticos do Estado por ano e mês clicando aqui .

Operação Sufoco


Para reduzir os indicadores criminais, especialmente neste período pós-pandemia, com aumento na circulação de pessoas nas ruas, o Governo de São Paulo deflagrou, no dia 4 de maio, a operação Sufoco. A ação dobrou o número de policiais na Capital por meio de atividades extras e reforçou o policiamento em outras regiões do Estado, integrando policiais civis, militares e guardas municipais.

Comentários via Facebook