Hortolândia realiza contagem de quantidade de larvas de Aedes aegypti na cidade

Ação é importante para Prefeitura definir estratégias de combate e enfrentamento ao mosquito transmissor de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika

Hortolândia realiza uma ação importante para combater o Aedes aegypti, transmissor de Dengue, Chikungunya, Zika, dentre outras doenças. A UVZ (Unidade de Vigilância de Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, inicia a ADL (Análise de Densidade Larvária), nesta semana. A ação é para fazer a contagem da quantidade de larvas do mosquito encontradas por imóvel visitado no município. A partir do índice registrado, a Prefeitura define estratégias de prevenção e enfrentamento ao mosquito e, conforme a situação verificada, reforçar ações de eliminação do inseto nas regiões onde há maior infestação de larvas.

A ADL consiste em visitas aleatórias em casas de todas as regiões da cidade. É feito o sorteio dos quarteirões a serem visitados. De acordo com o órgão, a previsão é visitar cerca de 3.000 imóveis. De acordo com o órgão, a realização da ADL deve durar de 15 a 20 dias. 

Nas visitas, os agentes entram nas casas para investigar locais onde há larvas de Aedes aegypti. Elas são recolhidas, identificadas e contabilizadas para gerar o índice, que mede a quantidade de larvas encontradas, conhecido como Índice de Breteau. 

O índice é dividido em três escalas: de 0 a 1 é considerado baixo; de 1 a 4, médio; e acima de 4, alto. A ADL é realizada três vezes ao ano: janeiro, julho e outubro. De acordo com a UVZ, o índice registrado na cidade em janeiro deste ano foi de 6,9. O índice registrado na cidade em outubro do ano passado foi de 1,6. Já o índice medido em julho de 2021 foi de 1.

“Realizamos a ADL no inverno para observar quais criadouros que ainda persistem mesmo sem ocorrência de chuva. A expectativa é de registrarmos um índice menor do que o que foi verificado no início deste ano, uma vez que estamos no inverno, com temperaturas mais frias. Para que isso ocorra, é importante também que a população colabore, fique atenta e mantenha os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti em suas casas”, salienta o veterinário da UVZ, Evandro Alves Cardoso. 

Moradores devem permitir a entrada dos agentes em suas casas

O órgão reforça a orientação para que os moradores deixem os agentes entrarem em suas residências para a realização da ADL. Os agentes estão identificados com crachá e uniforme. A Prefeitura ainda orienta as pessoas para ficarem atenta contra golpes. 

Nas visitas da ADL, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. Eles entram nas casas somente para realizar a ação. Em caso de dúvidas e para saber em quais regiões serão realizadas a ADL, os moradores podem entrar em contato com a UVZ pelos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

Cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti

A UVZ reforça para que a população mantenha os cuidados para evitar a reprodução do mosquito. Dentre as principais medidas estão fazer regularmente a limpeza de quintais, jardins e áreas externas das casas. Nesses locais é importante ainda verificar e recolher materiais, recipientes plásticos, baldes, garrafas PET, entre outros objetos, que possam acumular água parada, que é a condição favorável para a fêmea do Aedes aegypti depositar os ovos que darão origem a mais mosquitos.

Outras medidas importantes são colocar telas em ralos e mantê-los limpos, e encher os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda para evitar o acúmulo de água parada.

Moradores de imóveis com laje exposta sem teto também devem verificar se, após chuva, houve acúmulo de água na laje e façam a retirada da mesma.

A população pode ainda ajudar no combate ao Aedes aegypti ao fazer o descarte correto de resíduos e recicláveis nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) da Prefeitura que ficam em diferentes regiões da cidade. Atualmente, Hortolândia conta com 13 PEVs.

Sintomas

Caso o morador apresentar algum dos sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika, a Prefeitura orienta para que ele procure a UBS (Unidade Básica de Saúde) de referência ou mais próxima de onde mora para receber atendimento adequado, possibilitando que a Secretaria de Saúde faça a notificação correta do caso.

A Vigilância Epidemiológica, órgão também da Secretaria de Saúde, salienta que os sintomas de Dengue, Chikungunya e Zika são parecidos. Dentre os principais sintomas da Dengue estão dores no corpo, de cabeça e na parte atrás dos olhos, febre, manchas e/ou pontos vermelhos no corpo, náusea e vômito. Já o sintoma principal de Chikungunya são dores nas articulações que persistem durante dias. Os sintomas da Zika são febre, mas não tão elevada, vermelhidão no corpo e nos olhos (neste último sem formação de pus).

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, o município registra 2.205 casos notificados de Dengue, dos quais 836 positivos e um óbito. Já de Chikungunya, o município tem 4 casos notificados, do quais um positivo (importado). Neste ano, o município ainda não registra nenhuma notificação de Zika e nenhum óbito de Zika ou Chikungunya.

Comentários via Facebook