Vereadora acusada de rachadinha retorna ao cargo em Hortolândia

A vereadora Márcia Campos (PSB) foi autorizada pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) a retornar às funções e já voltou a participar de sessões na Câmara de Hortolândia à partir desta segunda-feira (12).

O 10º Baep (Batalhão de Operações Especiais da Polícia) de Piracicaba havia realizado a prisão de Márcia juntamente ao vereador Enoque Leal moura (MDB) e o servidor Isaac Santos Souza no último dia 18 de agosto. Entretanto, todos os envolvidos já respondem em liberdade, e ambos os vereadores já voltaram a atuar normalmente

O Caso

Dois vereadores e um assessor da Câmara de Hortolândia foram presos na manhã do dia 18 de agosto por agentes do 10º Baep (Batalhão de Operações Especiais da Polícia) de Piracicaba.

Há suspeita de que os parlamentares estejam envolvidos em um esquema de “rachadinha”, onde os assessores são contratados apenas para retornar parte do salário aos vereadores.

Além dos parlamentares, o assessor Isaac Santos Souza também foi detido pela corporação. O trio foi encaminhado à delegacia da cidade para prestar esclarecimentos. Caso condenados, os envolvidos têm pena prevista de até 12 anos de prisão.

Enoque Leal Moura

Segundo informações preliminares, um dos alvos é o vereador Enoque Leal Moura (MDB), de 54 anos. De acordo com inquérito do MP (Ministério Público), Enoque teria solicitado ao chefe de gabinete a quantia de R$ 1.280, valor que foi transferido em 19 de fevereiro de 2021. O chefe de gabinete repassou o valor uma segunda vez, e foi exonerado pelo parlamentar quando se recusou a realizar um terceiro repasse.

Marcia Cristina Campos

A vereadora Marcia Cristina Campos (PSB), de 47 anos, também foi alvo da operação e detida pelos agentes da justiça. A empresária também foi denunciada por esquemas de rachadinha e teria intimidado uma funcionária, afirmando que a exoneraria do cargo caso o pagamento não fosse realizado.

 

Comentários via Facebook