Mesmo preso por tentativa de estupro, Walter Tato recebe 749 votos

O candidato a deputado federal Walter Tato (Podemos) recebeu 749 votos durante o primeiro turno das eleições federais, neste domingo (2). Entretanto, ele foi detido no último dia 14 pelo 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais) da Polícia Militar por tentativa de estupro, e cumpre prisão preventiva desde então.

Segundo o juiz responsável pelo caso, a defesa do candidato entrou com habeas-corpus, porém continua preso até o momento. Uma nova advogada de São Paulo teria assumido o caso, que segue em segredo de justiça.

O CASO

O candidato a Deputado Federal Walter Tato (Podemos) é conhecido em Hortolândia como ativista político. Ele ingressou na carreira política como candidato a vereador em 2016 e obteve mais de 600 votos. Na última eleição, Tato se candidatou para Prefeito de Hortolândia e soma mais de 100 mil seguidores nas redes sociais.

Na noite de uma quarta-feira, 14 de setembro, o candidato foi preso por agentes do 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais) da Polícia Militar e conduzido ao plantão policial antes de ser transferido para a Cadeia Pública de Sumaré.

Segundo a advogada do político, Raquel Sales, Tato foi acusado de importunação sexual em 2020 por uma mulher que atuou em sua campanha para prefeito. A defensora afirma que a denúncia foi baseada apenas em relatos e que não há nenhum fato concreto que comprove o envolvimento do acusado no crime.

O caso já vinha sendo acompanhado pela advogada, e Tato já tinha inclusive solicitado um habeas corpus preventivo que está aguardando análise. A defensoria do candidato acha absurda a prisão na reta final das eleições, visto que Tato havia sido liberado para fazer a campanha normalmente.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Comentários via Facebook