Bolsonaro diz em discurso que governo Lula ‘não vai durar muito tempo’

Em sua primeira aparição como ex-presidente, Jair Bolsonaro (PL) incentiva seus seguidores a questionarem o resultado das eleições. Em sua fala em Orlando, nos Estados Unidos, onde reside desde o final do ano passado, ele colocou em dúvida a liderança de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Durante sua apresentação para um pequeno grupo, Bolsonaro elogiou o que ele acredita serem seus realizações durante seu mandato, especialmente no setor econômico, e sugeriu que o resultado das eleições foi fraudulento. “Se esse governo continuar na linha que demonstrou nesses primeiros 30 dias, não vai durar muito tempo”, afirmou o ex-presidente.

A postura de Bolsonaro segue a mesma linha adotada antes e depois da eleição, quando ele e seus aliados contestaram o Tribunal Superior Eleitoral e colocaram em dúvida o uso de urnas eletrônicas. Eles até tentaram aprovar a votação por meio de cédulas impressas para evitar supostas fraudes, que nunca foram comprovadas.

 

Indivíduo é detido por cometer agressão doméstica na Vila Amazonas em Campinas

Um indivíduo de 42 anos foi preso pela manhã de quarta-feira (01) por acusação de violência doméstica no bairro Vila Amazonas, em Campinas. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, policiais militares foram chamados para atender a ocorrência após uma ligação recebida pelo Copom.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

A vítima, uma mulher de 44 anos, informou aos policiais que o homem preso era um ex-companheiro dela e que ele tinha ido até sua casa e atirado uma vez para o teto. Mais tarde, ele foi até o local de trabalho da vítima e disparou três vezes. Ninguém foi ferido em ambos os incidentes.

Com base nas informações fornecidas pela vítima, o suspeito foi detido pelos policiais e a arma usada, juntamente com as cápsulas deflagradas, foram apreendidas. O caso está registrado como descumprimento de medida protetiva de urgência, violência doméstica, ameaça e disparo de arma de fogo.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão

Secretário informa que há relatos de 30 meninas Yanomami grávidas de garimpeiros

O Secretário Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Ariel de Castro Alves, afirmou que o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania recebeu informações de que pelo menos 30 meninas e adolescentes Yanomami estão grávidas devido aos garimpeiros, em sua maioria ilegais, que se apossaram da região.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Ele também mencionou que há seis crianças que foram acolhidas de forma irregular por famílias não Yanomami, com dois processos de adoção ilegal em andamento. Um grupo da pasta está na cidade de Boa Vista, em Roraima, para coletar informações sobre as denúncias de violação de direitos.

O Conselho Indígena de Roraima (CIR) fez as denúncias e os casos são acompanhados pela Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai). O Secretário destacou que há preocupação com a presença excessiva de garimpeiros na região, com cerca de 20 mil pessoas, em um território com cerca de 30 mil indígenas.

Alves mencionou que eventuais ações de incentivo ao garimpo ilegal, incluindo a falta de ação da gestão anterior, também estão sendo investigadas. O ex-presidente Jair Bolsonaro negou as denúncias nas redes sociais e afirmou que a saúde indígena foi uma das prioridades da sua gestão.

O relatório “Yanomami Sob Ataque”, de 2021, já mencionou relatos de exploração sexual das meninas e mulheres Yanomami. A introdução de drogas e bebidas alcoólicas na região deixa as comunidades mais vulneráveis aos garimpeiros.


Direto da Redação

Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Relembre a trajetória de Glória Maria, primeira repórter negra da televisão brasileira

A jornalista e ex-apresentadora do Fantásico, Glória Maria, morreu no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (2). A informação foi confirmada pela TV Globo, empresa em que a profissional trabalhava desde 1971.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Glória Maria foi uma das figuras mais importantes da televisão brasileira, tendo sido a primeira repórter a entrar ao vivo e em cores no Jornal Nacional. Entre 1998 e 2007, se tornou apresentadora do Fantástico, e a partir de 2010 passou a integrar a equipe do Globo Repórter.

A jornalista lutava contra um câncer de pulmão desde 2019, o qual progrediu para uma metástase no cérebro, que foi tratada através de cirurgia. Entretanto, Glória sofreu com outras metástases e iniciou uma nova fase do tratamento, que deixou de fazer efeito nos últimos dias.

CARREIRA

Ao longo de sua carreira como jornalista, Glória visitou mais de 100 países em suas reportagens, passando pela Europa, África e parte do Oriente e registrando momentos inesquecíveis e históricos da televisão brasileira e do mundo.

Glória iniciou sua carreira como radioescuta da Globo em 1970, onde monitorava as frequências de rádio da polícia e realizava ligações telefônicas para os batalhões. Em 1971 iniciou como repórter, onde foi a primeira repórter a aparecer ao vivo, na cobertura da posse de Jimmy Carter, em Washington.

Além disso, a jornalista entrevistou figuras importantes como o ex-presidente João Baptista Figueiredo em pleno período militar.

Em 1986, a profissional assumiu a equipe do Fantástico, e em 1998 assumiu integralmente como apresentadora, cargo que preencheu por quase dez anos, até 2007. Em seu último ano como apresentadora do programa, Glória teve o privilégio de participar da primeira transmissão em HD da televisão brasileira.

Ao sair do Fantástico, Glória tirou dois anos de licença e foi trabalhar como voluntária na índia e na Nigéria, onde adotou duas meninas, Maria e Laura. Ao retornar ao Brasil, a jornalista pediu para integrar a equipe do Globo Repórter e foi prontamente atendida. Desde então ela seguia à frente do programa, juntamente com a colega Sandra Annenberg.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Reprodução/Instagram

 

 

 

 

Morre jornalista Glória Maria, ícone da TV

Glória foi pioneira inúmeras vezes. Foi a primeira a entrar ao vivo no Jornal Nacional e inaugurou e era da alta definição da televisão brasileira. Mostrou mais de 100 países em suas reportagens e protagonizou momentos históricos.

“Eu sou uma pessoa movida pela curiosidade e pelo susto. Se eu parar pra pensar racionalmente, não faço nada. Tenho que perder a racionalidade pra ir, deixar a curiosidade e o medo me levarem, que aí eu faço qualquer coisa.”

Vida e carreira

Glória Maria Matta da Silva nasceu no Rio de Janeiro. Filha do alfaiate Cosme Braga da Silva e da dona de casa Edna Alves Matta, estudou em colégios públicos e sempre se destacou. “Aprendi inglês, francês, latim e vencia todos os concursos de redação da escola”, lembrou, ao Memória Globo.

Glória também chegou a conciliar os estudos na faculdade de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) com o emprego de telefonista da Embratel.

Em 1970, foi levada por uma amiga para ser radioescuta da Globo do Rio. Em uma época sem internet, era ouvindo as frequências da polícia que se descobria o que acontecia na cidade. Fazer uma ronda de telefone, ligando para batalhões e delegacias, também era tarefa de um radioescuta.

Na Globo, tornou-se repórter numa época em que os jornalistas ainda não apareciam no vídeo. A estreia como repórter foi em 1971, na cobertura do desabamento do Elevado Paulo de Frontin, no Rio de Janeiro. “Quem me ensinou tudo, a segurar o microfone, a falar, foi o Orlando Moreira, o primeiro repórter cinematográfico com quem trabalhei”.

Glória Maria trabalhou no Jornal Hoje, no RJTV e no Bom Dia Rio — coube a ela a primeira reportagem do matinal local, há 40 anos, sobre a febre das corridas de rua.

No Jornal Nacional, foi a primeira repórter a aparecer ao vivo. Cobriu a posse de Jimmy Carter em Washington e, no Brasil, durante o período militar, entrevistou chefes de estado, como o ex-presidente João Baptista Figueiredo.

“Foi quando ele [João Figueiredo] fez aquele discurso ‘eu prendo e arrebento’ – para defender a abertura (1979). Na hora, o filme acabou e não tínhamos conseguido gravar. Aí eu pedi: ‘Presidente, é a TV Globo, o Jornal Nacional, será que o senhor poderia repetir? Problema seu, eu não vou repetir’, disse Figueiredo. Onde ela chegava, o ex-presidente dizia para a segurança: ‘Não deixa aquela neguinha chegar perto de mim’”, relembra.

Sucesso no Fantástico

A partir de 1986, a jornalista integrou a equipe do Fantástico, do qual foi apresentadora de 1998 a 2007. Ficou conhecida pelas matérias especiais e viagens a lugares exóticos, e por entrevistar celebridades como Michael Jackson, Harrison Ford, Nicole Kidman, Leonardo Di Caprio e Madonna.

Com a cantora, teve um encontro que ela define como especial. “Eu saí daqui, e diziam que a Madonna era difícil. Foi antipaticíssima com a Marília Gabriela e debochou do seu inglês”. Ao chegar, Glória Maria foi informada de que tinha quatro minutos para entrevistar Madonna.

https://cdde3ffac02af209000f0f34d982b8e2.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-40/html/container.html

A repórter conta que entrou em pânico. Mas, na hora, falou: “Olha, Madonna, eu tenho quatro minutos, vou errar no inglês, estou assustada, acho que já perdi os quatro minutos.” Para sua surpresa, a estrela virou-se para a equipe técnica e disse: “Dê a ela o tempo que ela precisar.”

Para o Fantástico, a jornalista viajou por mais de 100 países, passando pela Europa, África e parte do Oriente, quando mostrou um mundo novo ao telespectador.

Foi a repórter que entrou no ar ao vivo, na primeira matéria a cores do Jornal Nacional, em 1977, mostrando o movimento de saída de carros do Rio de Janeiro, em um fim de semana. Naquele dia, foram usados equipamentos portáteis de geração de imagens.

Na primeira cena, a lâmpada queimou e a repórter passou seu primeiro sufoco no ar.

“Eu estava dura, rígida, porque não podia errar. Era a primeira entrada ao vivo. Faltavam cinco, dez minutos, era o técnico que ficava com o fone para me dar o ‘vai’. Quando a lâmpada queimou, faltava um minuto para a entrada ao vivo. O jeito foi acender a luz da Veraneio (carro usado pela emissora nas reportagens).” O repórter cinematográfico e a repórter tiveram que ficar de joelhos, com o farol no rosto de Glória Maria, e a matéria entrou no ar.

A jornalista cobriu a guerra das Malvinas (1982), a invasão da embaixada brasileira do Peru por um grupo terrorista (1996), os Jogos Olímpicos de Atlanta (1996) e a Copa do Mundo na França (1998).

Primeira transmissão em HD

Em 2007, ao lado do repórter cinematográfico Lúcio Rodrigues, a jornalista realizou a primeira transmissão em HD da televisão brasileira. Foi uma reportagem no Fantástico sobre a festa do pequi, fruta de cor amarela adorada pelos índios Kamaiurás, no Alto Xingu.

Volta ao mundo no Globo Repórter

Após 10 anos no Fantástico, Glória Maria tirou dois anos de licença para se dedicar a projetos pessoais, como as viagens à Índia e à Nigéria, onde trabalhou como voluntária. Nesse período, adotou as meninas Maria e Laura e, ao retornar à Globo, em 2010, pediu para integrar a equipe do Globo Repórter, programa do qual faz parte até hoje.

Estreou com a matéria “Brunei Darussalam: A Morada da Paz”; um ano depois fez “Brunei, O País da Felicidade” – as duas matérias sobre o pequeno sultanato no Sudeste Asiático, na fronteira com a Malásia.

Em 2010, esteve no Grand Canyon, nos Estados Unidos, quando andou de balão e desceu de bote o Rio Colorado. No mesmo ano fez Duas Chinas, também para o Globo Repórter, e apresentou ainda o especial de Roberto Carlos na Praia de Copacabana.

Glória foi escolhida pelo Rei para a entrevista que concedeu em sua residência e na qual ele acabou cantando para ela. Em 2011, apresentou o show que o cantor fez em Jerusalém. Na ocasião, Roberto Carlos tirou a apresentadora para dançar.

Em 2012, a jornalista mostrou o Oásis da paz em Omã e fez um passeio com camelos pelo deserto. Logo depois, passou por Dubai.

A França foi um dos países visitados em 2013. Na ocasião, foram exibidas as belezas do Vale do Loire, Champagne e Provence. No mesmo ano, revelou a cultura e os costumes dos moradores do Vietnã, Laos e Camboja. Passou também por Myanmar, no sul da Ásia, onde fez reportagens sobre o misticismo na região.

As paisagens do Reino Unido, Suécia e Lapônia foram temas do Globo Repórter em 2014.

No ano seguinte, a jornalista mostrou as belezas de Marrocos, como a cidade azul, Marrakesh, os encantadores de serpente e a colheita do argan feita pelas cabras. Cruzou o deserto do Saara em um dromedário e mostrou a vida dos povos nômades.

Em 2016, visitou a Jamaica, onde teve a oportunidade de entrevistar o campeão mundial de atletismo Usain Bolt e participou dos rituais de uma comunidade rastafári.

Em 2017, Glória Maria foi à China e fez matérias em Hong Kong, onde cuidou de um panda gigante, e pulou do mais alto bungee-jump do mundo em Macau, com 233 metros de altura.

Em setembro de 2019, Sérgio Chapelin se aposentou, após 23 anos no Globo Repórter. A partir daquele mês, Glória Maria passou a dividir o programa com a jornalista Sandra Annenberg.

Sobrevivente lembra resgate após queda de árvore gigante e diz ter ouvido relato sobre ‘indícios de problemas’

Em meio à recuperação gradativa no Hospital Mário Gatti e fragilizada pelos danos físicos e psicológicos sofridos após ser atingida por um eucalipto de 20 metros no Taquaral, em Campinas (SP), a engenheria ambiental Gabriela de Araújo Rodrigues, de 27 anos, contou ao g1 sobre o que ela lembrou do resgate no acidente que terminou ainda com a morte de Isabela Tiburcio Fermino, de 7.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

A tragédia na principal área pública da cidade foi em 24 de janeiro e, na segunda-feira, Gabriela deixou a UTI após dois procedimentos cirúrgicos. Além de explicar que tudo ocorreu sem ela perceber de imediato, a sobrevivente enfatizou que os socorristas chegaram rápido e afirmou que, sem ter perdido a consciência apesar da dor, ouviu um relato que pode indicar suposto problema na árvore que caiu.

“Eu ouvi alguém dizer, acredito que pelo comentário seja um funcionário, que ‘ele já tinha avisado sobre essa árvore’. Ou seja, já tinha indícios de problemas na árvore, entretanto, disse que ‘falavam para eles apenas podar'”, relatou Gabriela.
Gabriela disse que ficou caída e imobilizada logo após a queda do eucalipto, à espera do resgate, e, por isso, não conseguiu identificar quem era o autor da fala. A prefeitura, porém, disse que a árvore estava sadia – veja abaixo posição na íntegra. Na semana passada, o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, afirmou que “a queda se deu por causa da saturação do solo, muita chuva, esse é o motivo”.

Diante do contexto, Gabriela sinalizou que deve acionar o Poder Judiciário com o propósito de “deixar a prefeitura ciente da necessidade de fazer os reparos necessários e para que não aconteça de novo”. A expectativa da jovem é deixar o hospital municipal nos próximos dias para seguir com a fisioterapia.

A mãe, ao lado dela no hospital, relatou momentos de angústia e concordou com a avaliação da jovem de que a medida é necessária para prevenção. “Eu poderia ter perdido minha filha”, falou.

Piquenique e corrida por impulso
O acidente com Gabriela ocorreu quando ela estava na terceira volta pelo parque com o namorado, e aproveitava o fato de que o tempo estava aberto. Antes, ela havia cogitado ir embora, mas estendeu o passeio que não tem hábito de realizar em dias úteis e se surpreendeu com a beleza do piquenique organizado pela família de Isabela, que estava no local para celebrar o aniversário de uma prima.

Gabriela e a mãe deixaram Campinas (SP) para morar em Sumaré (SP) desde 2009, enquanto Isabela residia com os pais em Hortolândia (SP). Segundo a jovem, nada de diferente havia se percebido.

“Eu olhei, e falei: ‘Olha, que bonitinho!’. Então eu ouvi um estalo e percebi as pessoas correndo. Por impulso comecei a correr, não entendi o que estava acontecendo. Só entendi quando senti os galhos em cima de mim. Não perdi consciência em momento algum. Os galhos me empurraram, não fiquei embaixo. Minha coluna torceu, da parte do quadril para baixo não sentia nada, minha coluna estava comprimida. Graças a Deus fui resgatada rápida”, explicou sobre o dia do acidente.

As lesões sofridas, segundo a engenheira, foram: uma vértebra “de transição” quebrada que exigiu dois procedimentos cirúrgicos, além de uma fratura na costela que também gerou uma pequena lesão no rim. Ela está em estado estável, deixou a UTI na segunda-feira e sabe que precisará de fisioterapia durante uma recuperação gradativa. Ela não perdeu os movimentos de membros, mas menciona que neste momento houve uma “perda de força motora”, que a equipe médica destaca ser provisória.

“Fiz a cirurgia de coluna, tive que colocar oito parafusos para descomprimir e alinhar. Depois disso eu tive que fazer uma reparatória porque um dos parafusos não tinha ficado certinho no lugar […] No início foram movimentos só nas pontinhas dos dedos, depois formigamento, hoje está melhor consigo alguns movimentos. Acredito que essa semana já saia do hospital”.
Gabriela contou ainda que precisou, neste período de internação no Hospital Mário Gatti, colocar um dreno por conta de secreção pulmonar. A recuperação é demorada. “Sinto medo do que aconteceu, me dá ansiedade, não sei se precisarei de um acompanhamento psicológico para lidar com isso porque a cena muitas vezes vem na minha mente. Hoje estou me sentindo muito grata, nasci de novo”, falou.

Aprovação em concurso
Durante o período de internação, Gabriela recebeu a notícia de que foi aprovada em um concurso público de Hortolândia para atuar na Saúde, com foco na área de zoonoses. A mãe, Neusa Rodrigues, foi quem levou os documentos necessários para assegurar a vaga da filha no novo trabalho.

“Era algo que eu almejava [aprovação no concurso público] Um dia de cada vez. Agora é ter paciência para a recuperação que não é tão rápida. Grata por estar saindo dessa situação mais difícil e animada para voltar para casa e começar a fisioterapia e voltar a andar como antes”, destacou. A prova do concurso foi realizada por ela em agosto de 2022.

O caso do acidente no Taquaral é investigado pelo 4º Distrito Policial de Campinas. Além disso, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) também abriu um procedimento para apuração e pediu um parecer para um órgão interno técnico sobre as condições das árvores do parque.

O que diz a prefeitura?
Em nota, a prefeitura defendeu que toma medidas para evitar acidentes, ressaltou a assistência médica à jovem e destacou que o tratamento após após alta ainda será definido. Além disso, ela se manifestou sobre o relato que a jovem diz ter ouvido após o acidente no Taquaral. Veja íntegra.

“A Secretaria de Serviços Públicos informa que a árvore em questão não foi podada recentemente. Quinze dias antes do acidente, a Pasta realizou, na lateral do alambrado, a poda de eucaliptos que cresceram tortos (fototropismo). Depois das chuvas do dia 17/01, prosseguimos com poda de árvores na Lagoa do Taquaral, mas não de eucaliptos.

Os laudos técnicos do Instituto Biológico e do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) é que vão revelar o motivo da queda. Visivelmente, a planta estava sadia.

A Prefeitura sempre toma as medidas necessárias para evitar acidentes. Mesmo antes do acidente, o Departamento de Parques e Jardins (DPJ) realizava a poda preventiva de árvores.

Outra medida adotada foi o fechamento dos parques e bosques até que o solo seque, já que a grande causa de queda de árvores neste período é o excesso de água no solo.

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti presta toda a assistência médico-hospitalar necessária à paciente. O tratamento a ser seguido após deixar a unidade será definido na programação da alta hospitalar, quando a equipe médica fará o encaminhamento necessário.”

Chuvas castigaram a cidade
Campinas vive uma situação de destruição por conta dos fortes temporais da semana retrasada, sobretudo no dia 19, quando choveu 125 mm – a terceira maior precipitação da história da cidade.

A Defesa Civil registrou ao menos 200 quedas de árvores, pontes caíram e famílias ficaram desabrigadas naquele temporal. O governo municipal decretou situação de emergência.

A Pedreira do Chapadão, outro espaço de lazer do município, foi interditada um dia antes do acidente no Taquaral por conta do risco de desmoronamento de pedras provocadas pela chuva.

Morte por queda de árvore em dezembro
Em dezembro, uma árvore caiu em cima de um carro e matou o técnico em eletrônica Guilherme da Silva de Oliveira Santos. Em 23 de janeiro, o g1 obteve com exclusividade o resultado da análise, que apontou a presença de quatro fungos no vegetal, mas descartou a existência de doenças. A principal hipótese do IAC é que a queda foi causada pelo excesso de chuva.


O caso ocorreu na manhã de 28 de dezembro durante uma forte chuva. O técnico em eletrônica de 36 anos passava pela Rua General Marcondes Salgado quando foi atingido e morreu.

 

Tarcísio sanciona lei para fornecer remédios gratuitos à base de cannabis

Uma lei que inclui medicamentos baseados em cannabis no Sistema Único de Saúde de São Paulo foi aprovada com vetos parciais ontem (31). O projeto foi proposto pelo deputado estadual Caio França e aprovado na Assembleia Legislativa de São Paulo em dezembro de 2021.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

O deputado celebrou a vitória nas redes sociais como uma conquista para pessoas com autismo, síndromes raras, Parkinson e outras condições. Ele entregou um abaixo-assinado com 40 mil assinaturas ao governador Tarcísio de Freitas na véspera da sanção.

Os vetos parciais foram relacionados a trechos inconsistentes com a Constituição Federal e o texto será enviado de volta à Alesp para revisão. O governo estadual também anunciou a criação de um grupo de trabalho para regulamentar a nova lei.

A medida visa minimizar impactos financeiros e garantir a segurança dos pacientes. A importação de produtos medicinais à base de cannabis foi permitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária em 2015, mas antes só eram disponibilizados pelo governo estadual por ordem judicial.

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Divulgação/Anvisa

PAT de Hortolândia divulga 22 novas vagas de emprego

Órgão funciona das 8h às 16h30, dentro do HORTOFÁCIL, localizado na Rua Argolino de Moraes, 405, Vila São Francisco

Para quem está à procura de trabalho neste início do ano, fique atento às vagas do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) de Hortolândia, órgão vinculado à Prefeitura. São 22 novas vagas de emprego em diversas áreas incluindo oportunidades para PCDs (pessoas com deficiência).

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

O PAT solicita aos interessados que se candidatem às vagas pelo aplicativo Sine (Sistema Nacional de Emprego) Fácil ou pelo site Emprega Brasil, ambos do governo federal.

O órgão ainda orienta os candidatos para ficarem atentos às datas de disponibilidade de cada vaga. Em caso de vagas com data de disponibilidade no fim de semana, os candidatos podem se candidatar por meio do aplicativo Sine Fácil ou do site Emprega Brasil. 

O PAT informa que as vagas de emprego ficam disponíveis até a data limite ou até o número máximo de candidatos estabelecido pelo empregador for atingido.

Para quem preferir se candidatar presencialmente, o PAT fica dentro do HORTOFÁCIL, localizado na Rua Argolino de Moraes, 405, Vila São Francisco. O atendimento é de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h30. É necessário levar Carteira de Trabalho (digital ou impressa), Carteira de Identidade e CPF (Cadastro de Pessoa Física). 

Os candidatos também podem levar currículo e comprovante de endereço, mas, de acordo com o PAT, a apresentação desses documentos não é obrigatória. Para mais informações e orientações, o telefone do órgão é (19) 3965-1400, ramais 8912. Empresas interessadas em divulgar vagas de emprego por meio do PAT, devem entrar em contato pelo e-mail [email protected].

Informações: Prefeitura de Hortolândia
Imagem: Marcos Santos/USP Imagens

Emdec testará operação de faixas reversíveis na John Boyd Dunlop

Uma operação de faixas reversíveis na Avenida John Boyd Dunlop será testada pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) nesta quarta-feira, 1º de fevereiro, a partir das 6h, na altura do viaduto da Rodovia dos Bandeirantes. Ao reservar faixas extras de rolamento do sentido oposto para o sentido de maior fluxo de veículos, a Emdec busca ampliar a fluidez viária no local, que geralmente registra lentidões de tráfego no pico da manhã.  

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)
 
A operação contemplará um trecho de cerca de 1,5 km, entre a Avenida Prof. Mário Scolari e o Shopping Parque das Bandeiras. Após a avaliação dos resultados do teste, a ideia é que as faixas reversivas sejam adotadas conforme a necessidade, a depender da demanda de veículos, no horário de pico da manhã, entre 6h e 8h, no sentido bairro – Centro.  
 
“Este trecho da Avenida JBD apresenta afunilamento do trânsito e alto fluxo de veículos. Também está entre os pontos monitorados pela Emdec com alto índice de acidentalidade. A operação de faixa reversiva está sendo adotada para dar mais fluidez ao trânsito no sentido Centro e, consequentemente, prevenir acidentes”, explica o presidente da Emdec, Vinicius Riverete.  
 
Entre a Avenida Prof. Mário Scolari e a ponte da Rodovia dos Bandeirantes serão, portanto, cinco faixas dedicadas ao trânsito sentido Centro – três faixas reversivas (contrafluxo) e duas convencionais, além do pavimento rígido do Corredor BRT. No trecho sobre a Rodovia dos Bandeirantes, serão três faixas para o sentido Centro e uma para o sentido bairro. E no trecho após a ponte até a altura do Shopping das Bandeiras, serão quatro faixas dedicadas ao sentido Centro, sendo duas convencionais e duas reversivas.  
 
Já os motoristas que trafegam no sentido Centro – bairro serão desviados para as marginais da Avenida JBD na altura do Shopping das Bandeiras e, também, após o trecho sobre a Rodovia dos Bandeirantes.  
 
Serão sete pontos operacionalizados pelos agentes da Emdec. Dez Agentes da Mobilidade Urbana, com seis viaturas, estarão envolvidos na operação. Além do monitoramento nos pontos mencionados, haverá operacionalização dos semáforos e orientação de pedestres nas travessias, junto ao Shopping das Bandeiras.  
 
O ponto de ônibus localizado no sentido bairro da Avenida JBD, junto ao Shopping das Bandeiras, será temporariamente deslocado para a marginal, durante a operação. Os agentes irão orientar os usuários do transporte público sobre a mudança.  
 
Uma obra de requalificação asfáltica foi realizada na avenida, no acesso existente na altura do Shopping das Bandeiras, para viabilizar a operação. 
 
 
Histórico  
 
A Emdec também vem adotando faixa reversiva na Rua Coronel Quirino, na região do Bosque dos Jequitibás, desde o início de 2022. Na fase inicial, a operação foi adotada para promover fluidez no sentido Bosque, em direção à Avenida Dr. Moraes Salles.  
 
Atualmente, a reversiva é ativada em momentos de chuvas intensas. Para resguardar a segurança dos condutores na região arborizada, a Rua General Marcondes Salgado é bloqueada para circulação e a Coronel Quirino, no trecho entre a Avenida Dr. Moraes Salles e a Rua General Marcondes Salgado, recebe a reversiva.  
 
 
O que é uma faixa reversível? 
 
Consiste na inversão do sentido de circulação de faixas de rolamento para atender o sentido de maior demanda de tráfego, ampliando a fluidez viária. A medida de engenharia de tráfego busca aumentar a capacidade de fluxo das vias e é adotada geralmente em situações de grande demanda de veículos, obras ou situações emergenciais, tais como alagamentos e acidentes.

Imagem e informações: Prefeitura Municipal de Campinas

Caminhão de poda fica sem freio e desce rua em Campinas; Veja vídeo

Na tarde desta terça-feira (31), um caminhão de poda de árvore perdeu o controle e desceu a Rua Jorge Curado, no bairro Vila Nogueira, em Campinas, após supostamente ter ficado sem freios.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

As câmeras de segurança mostram o momento em que o veículo carregado com árvores cortadas por funcionários públicos invadiu a calçada. De acordo com testemunhas, o caminhão estava sendo rebocado por um trator com uma corda, que teria se rompido, causando o incidente. O veículo também bateu em um muro. Até o momento, não há registro de ferimentos.

A Prefeitura de Campinas emitiu uma nota informando que o caminhão não é de sua propriedade e que está investigando o ocorrido. Veja o vídeo do momento em que o veículo perde o freio:

Direto da Redação
Henrique Amaral – TV HORTOLÂNDIA
Emissora Rede Brasil de Televisão
Imagem: Reprodução/Câmeras de Segurança