Aumenta a procura pelo Pronto Socorro do HC da Unicamp

A direção do hospital acredita que a crise econômica provocada pela pandemia fez com que muitas pessoas deixassem de ter convênios médicos, necessitando utilizar o sistema público de saúde. Outro ponto considerado é que a pandemia fez com que muitas pessoas tivessem suas doenças agravadas devido a não buscar o tratamento adequado durante o período de isolamento, e com isso há mais gente buscando atendimento.

– FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Dados ANS

Segundos dados mais recentes da Agência Nacional de Saúde Suplementar, em setembro do ano passado Campinas registrou 586 mil beneficiários de planos de saúde, 25 mil a mais que o registrado em setembro de 2019. Porém, durante a pandemia houve um período de queda, sucedido pelo período de crescimento. Na região metropolitana a situação é a mesma. São 1 milhão 428 mil beneficiários ativos, 93 mil a mais que em setembro de 2019, mas em 2020 houve uma queda nesse número, antes de haver a retomada.

Cadastro
O HC da Unicamp também informou que tem tido problemas para atualizar dados cadastrais dos pacientes, o que impede o contato com muitos para que sejam chamados para realizar procedimentos. Segundo a unidade, estão defasados 60% dos cadastros de 1,2 milhão de pacientes. Mas o fato de isso só poder ser feito presencialmente dificulta a atualização.

Os atendimentos no Pronto Socorro do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp aumentaram 43% em um período de quatro anos, segundo dados do próprio HC. Foram 5.100 atendimentos em 2019, e em 2022 o número saltou para 7.300. Os atendimentos mais procurados são para problemas cardiológicos, neurológicos, ortopédicos, além de e cirurgias de urgência ( como tumores, inflamação abdominal).

A direção do hospital acredita que a crise econômica provocada pela pandemia fez com que muitas pessoas deixassem de ter convênios médicos, necessitando utilizar o sistema público de saúde. Outro ponto considerado é que a pandemia fez com que muitas pessoas tivessem suas doenças agravadas devido a não buscar o tratamento adequado durante o período de isolamento, e com isso há mais gente buscando atendimento.

Dados ANS

Segundos dados mais recentes da Agência Nacional de Saúde Suplementar, em setembro do ano passado Campinas registrou 586 mil beneficiários de planos de saúde, 25 mil a mais que o registrado em setembro de 2019. Porém, durante a pandemia houve um período de queda, sucedido pelo período de crescimento. Na região metropolitana a situação é a mesma. São 1 milhão 428 mil beneficiários ativos, 93 mil a mais que em setembro de 2019, mas em 2020 houve uma queda nesse número, antes de haver a retomada.

Cadastro
O HC da Unicamp também informou que tem tido problemas para atualizar dados cadastrais dos pacientes, o que impede o contato com muitos para que sejam chamados para realizar procedimentos. Segundo a unidade, estão defasados 60% dos cadastros de 1,2 milhão de pacientes. Mas o fato de isso só poder ser feito presencialmente dificulta a atualização.